Dicas de Triathlon: como começar, treinar e fazer sua primeira prova

O triatlo (triathlon, em inglês) surgiu em 1970 na Califórnia (San Diego/EUA) com o nadador Jack Johnstone, um ex-universitário que gostava muito de competir e queria se manter em forma.

Ele e um amigo organizaram uma prova de 18,06 quilômetros de extensão: 460 metros de natação, 8 quilômetros de ciclismo e uma corrida de 9,6 quilômetros.

Então, se popularizou na marinha americana e usado para aperfeiçoamento militar.

Foi, então, que John Collins da marinha sugeriu uma prova como desafio. Começa assim, em 1978 o Iroman no Havaí com o vencedor Gordan Haller, que completou o percurso em 11 horas e 46 minutos.

Segundo os historiadores, dos 15 atletas, 12 completaram a prova.

Em 1989 foi fundada a União Internacional de Triathlon, na França, que passou a regulamentar o esporte.

A entidade definiu que a competição oficial teria 1,5 quilômetros de natação, 40 quilômetros de ciclismo e 10 quilômetros de corridas. O triathlon passou a ser esporte olímpico em 2000, em Sydney (Austrália), após sofrer algumas modificações estabelecidas pela União Internacional de Triathlon.

No Brasil, o primeiro o Ironman foi realizado no Rio de Janeiro, em 1987. Já o primeiro Meio Ironman, etapa classificatória para o Ironman do Havaí, foi disputado em Porto Seguro, na Bahia, em 1991.

A modalidade é controlada no país pela CBTri (Confederação Brasileira de Triathlon).

Natação no Triatlo - Energy Lab Recovery 6

Na prova existe a largada, transição e chegada e em alguns casos tem 2 áreas de transição, nela, não se pode invadir o espaço do concorrente.

Na natação é possível correr em qualquer estilo e o percurso é delimitado por boias. Se atrapalhar o oponente, o atleta pode ser punido em 30 segundos e até levar cartões amarelo e vermelho.

Transição no Triatlo - Energy Lab Recovery

Depois da natação, vem o ciclismo que tem a regra de não poder colocar o pé no chão. E, enfim, vem a corrida, onde não se pode correr descalço, com touca, os óculos de natação ou sem camisa apropriada (nem com o dorso nu).

O triatlo não é composto por esportes diferentes, mas por modalidades distintas.

Quando você decide entrar para o tri, é comum gostar mais de uma modalidade e deve se preparar para o fato de que terá que dividir seu tempo entre as outras, mas a boa notícia é que são complementares.

Não é só um esporte de resistência, mas de força, então, é importante trabalhar o fortalecimento na academia e em aulas de TRX.

É importante treinar também a transição: da natação para o ciclismo e do ciclismo para corrida. O primeiro caso é mais sensível porque pode ter sensação de tontura.

Para montar seu plano de alimentação, busque uma nutricionista esportiva e para planejar seus treinos, entre para um grupo de uma assessoria esportiva e tenha o suporte necessário para iniciar sua nova fase de atleta.

Sua primeira compra, exigirá mais equipamentos. O Rogério Carvalho indicou uma lista interessante que compartilhamos aqui:

Natação:

  • Óculos (necessário)
  • Sunga/maiô (necessário)
  • Touca (opcional)
  • Palmar (opcional)
  • Prancha (opcional)
  • Flutuador (opcional)
  • Nadadeira (opcional)
  • Bermuda e top de competição ou macaquinho/swimsuit (opcional)
  • Roupa de borracha (opcional)

Ciclismo:

  • Bike (necessário)
  • Capacete (necessário)
  • Ciclocomputador (opcional)
  • Óculos de sol para ciclismo (necessário)
  • Rolo de treino (opcional)
  • Sapatilha e pedais para sapatilha (opcional)
  • Bermuda e camiseta de ciclismo (necessário)
  • 2 garrafas/caramanholas (necessário)

Corrida:

  • Tênis (necessário)
  • Boné/viseira (necessário)
  • Meias especiais para corrida (opcional)
  • Sistema de hidratação (cinto de hidratação, mochila de hidratação, etc.) (opcional)
  • Cinto para número (opcional)
  • Relógio com cronômetro (necessário)
  • Frequencímetro (opcional)
  • Frequencímetro com GPS (smartwatches) (opcional)


A modalidade Natação no triatlo:

Natação no Triatlo - Energy Lab Recovery 6

A natação é o ponto fraco de muitos atletas que tem como esporte preferido a corrida e ciclismo.

É por ela que começa a largada e é a hora em que o coração bate mais forte!

Na prova de natação em águas abertas surgem vários novos desafios diferentes do treino em piscina, lago ou represa. Mesmo assim, enquanto treinar, se ligue ao máximo na técnica (braçada, respiração e orientação corporal).

Na hora dos vamos ver na prova, fique esperto com as ondas do mar para não atrapalhar sua respiração. Passe na arrebentação o quanto antes conseguir para nadar mais encaixado. Como? Fure as ondas, passando no meio delas e aí vai ficar mais próximo um pouco do seu treino.

Diferente da piscina que possui raias, no mar você não terá essa referência visual no fundo. Por causa disso, fique atento aos boias e indicações da prova para que nade o mais direcionado que conseguir rumo ao seu objetivo.

Tente manter a concentração, pois medo, nervosismo e ansiedade alteram sua frequência cardíaca e não é o que desejamos.

Natação no Triatlo - Energy Lab Recovery 6

No seu treino, é mais importante focar na técnica que em sessões longas.

Segundo as regras da ITU, não é possível usar dispositivos que aumentem sua propulsão como nadadeiras e palmares, mas pode snorkel. Como é preciso tirar a cabeça da água para se localizar, ele não é muito recomendado. É permitido se apoiar nos caiaques para descansar ou se tiver uma crise de pânico, mas não pode impulsionar com ajuda dele.

As roupas de neoprene (wetsuits) ajudam na flutuação e a nadar mais rápido para os iniciantes.

Natação no Triatlo - Energy Lab Recovery 6

Treino de Corrida para o Triatlo

No treino de corrida, tente trabalhar intensidade alta e leve com intervalo de 48 horas. O ideal é fazer dois treinos por modalidade na semana.

Lembrando que sempre é bom conhecer os locais de prova e o circuito para se preparar para os desafios. Se houver um trecho de corrida em locais com grama e pedrinhas, precisa se preparar para isso.

Treino de Ciclismo para o Triatlo

Ciclismo no Triatlo - Energy Lab Recovery 2

É importante treinar curvas, acelerações e intensidade, mas deixe para o fim de semana aquele treino longo e de menos intensidade.

Se está começando, na hora de treinar em grupo, fique mais na retaguarda do pelotão e muita atenção nos movimentos, tentando não tirar a mão do guidão.  Se bater fome ou sede, procure sair da linha do pelotão para não causar acidentes.

Se você é amador, não precisa de uma bicicleta de triatlo caríssima para começar. No caso dos profissionais a União Internacional de Triathlon tem algumas exigências. Claro que a manutenção deve estar em dia no que tange os freios, câmbios e pneus.

Ciclismo no Triatlo - Energy Lab Recovery 2

O que comer no dia da prova de Triatlo

Recomendamos que siga a dica do seu nutricionista, mas evite comer o que não está acostumado. Café, fibras e leite podem não cair bem quando se está muito ansioso. É bom evitar.

Não invente no dia da prova

Nada de novas experiências bem no dia da prova como comidas que nunca experimentou, forçar demais para acompanhar outros atletas, testar roupas e tênis no dia da prova.

E não esqueça de incluir um plano de recovery na sua preparação para as provas de triatlo.

Confira os endereços das estações móveis da Energy Lab Recovery no Rio de Janeiro >>

Imagens: Pixabay

Leia mais sobre triatlo:

Confederação Brasileira de Triathlon

Training Ironman

Ironman Brasil

Facebook Ironman

Instagram Ironman

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *